quarta-feira, 18 de julho de 2018

Geyser de Tatio, nosso último passeio no Atacama

A imagem pode conter: nuvem, céu, montanha, atividades ao ar livre e natureza


Deixamos para fazer o passeio aos gêiseres no último dia, pois segundo informações, seria o passeio mais puxado da viagem, o mais alto, mais frio e o que teríamos que acordar mais cedo.
Acordamos por volta das quatro da manhã, nos vestimos com tudo que tínhamos direito (acredite: talvez tudo ainda não seja suficiente), colocamos as cobertas no carro e partimos, no escuro ainda.

A imagem pode conter: céu, atividades ao ar livre e natureza

Os gêiseres estão a 4300 metros de altitude e a 80 Km de San Pedro, são aproximadamente uma hora e meia de viagem. Boa parte da estrada não é asfaltada, mas dá para dirigir tranquilamente. Estávamos com um carro 4X4, mas nem foi necessário acionar a tração, outras pessoas foram com carros simples e fizeram o trajeto sem problemas.Muitas pessoas não aconselham fazer esse passeio por conta própria, dizendo que a estrada é perigosa, mas nós não vimos nenhum perigo aparente.

A imagem pode conter: nuvem, céu, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, nuvem, céu, atividades ao ar livre e natureza

O parque fica o dia todo aberto, mas o fenômeno dos jatos de água fervendo que são expelidos a uma altura até que considerável, e a enorme quantidade de vapor de água    (que é o charme do local) ocorre entre seis e sete da manhã,depois disso será "apenas" um campo geotérmico tímido no meio das montanhas chilenas, daí a necessidade de madrugar para fazer o passeio.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre
O dia mal tinha amanhecido quando chegamos... Esse foi nosso primeiro contato com temperaturas negativas

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu, atividades ao ar livre e natureza
Apesar do frio intenso, foi lindo ver o sol nascer naquele lugar incrível

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, montanha, céu, atividades ao ar livre e natureza


A imagem pode conter: atividades ao ar livre


Nós tivemos um bônus neste passeio: o lugar estava completamente forrado pela neve que havia caído nos dias anteriores, o que deixou tudo ainda mais lindo! O contraste do céu azul, do vapor subindo e as montanhas ao redor branquinhas é uma imagem que vou guardar por muito tempo e vou me emocionar todas as vezes em que falar sobre o assunto. Sim! Foi lindo!

A imagem pode conter: nuvem, céu, montanha, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: céu, nuvem, montanha, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: céu, nuvem, montanha, natureza e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: nuvem, céu, natureza e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: céu, montanha, nuvem, natureza e atividades ao ar livre


Uma coisa que é unânime quando se fala sobre esse passeio é o frio. Sim, acredite! Faz muito frio! E quando te disserem que é frio, pense que é ainda mais frio do que a pessoa está falando, porque é REALMENTE MUITO FRIO. Chegamos a pegar -16 graus na estrada, mas lá, durante o passeio, a temperatura variou entre -12 e -13 graus.

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up, atividades ao ar livre e natureza
Será que estava mesmo frio???

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, céu, montanha, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, montanha, atividades ao ar livre e natureza

Senti muito a falta de ter uma garrafinha térmica para levar um chocolate quente, acho que faria toda a diferença naquele momento, mas como eu não tinha, me contentei em tomar o meu leitinho gelado e comer um sanduíche igualmente gelado ( o bom de contratar uma agência é isso: café da manhã quentinho e no capricho naquela paisagem incrível).

A imagem pode conter: montanha, céu, nuvem, atividades ao ar livre, natureza e água
As vans preparando o café da manhã

Em meio a toda aquela friaca, teve gente que entrou na água! Tudo bem que a água é quente, mas a pergunta que eu não conseguia parar de fazer é: e pra sair dali??? Infelizmente não consegui ficar lá para ver o desfecho desta cena, e não sei se todos daquele grupo de turistas empolgados sobreviveram....


A imagem pode conter: céu, nuvem, atividades ao ar livre, água e natureza

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, montanha, céu, nuvem, atividades ao ar livre e natureza
Admiro esses turistas corajosos!

A imagem pode conter: nuvem, céu e atividades ao ar livre

O caminho de volta é realmente muito lindo! Como na ida estava tudo escuro e não vimos nada, foi uma grata surpresa se deparar com aquelas paisagens! Passamos por formações rochosas incríveis, mirantes maravilhosos, rios e pequenos lagos congelados, sem falar na neve, que era uma espetáculo à parte!


A imagem pode conter: natureza e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: montanha, natureza e atividades ao ar livre
Um rio congelado no caminho... Deus! Porque não parei???


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, montanha, céu, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, em pé, montanha, atividades ao ar livre e natureza
Essa história preciso contar: A Bia encontrou uma blusa soterrada na neve... Insistiu em trazer, lavou, desinfetou, estilizou e hoje usa toda cheia de orgulho. Como não sabemos a procedência da blusa, a chamamos carinhosamente de "blusa do morto".

A imagem pode conter: céu, montanha, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: céu, natureza e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, céu, montanha, atividades ao ar livre e natureza


Vi realmente que valeria a pena ter deixado o passeio para as Termas de Puritama para a volta dos gêiseres, pois sem nada na programação e depois de ter acordado tão cedo, acabamos sem muita inspiração para procurar um lugar diferente para ir e  passamos o resto do dia intercalando a vontade de dormir e a vontade de aproveitar o restinho do tempo que tínhamos na cidade.
Nossa ociosidade naquela tarde foi tamanha. que chegamos a parar na beira da estrada para ficar atirando pedrinhas no Valle de la Luna, que absurdo, né? Mas naquela hora, parecia ser uma atividade bem legal, gratuita e que fazia todo o sentido! 😆

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, céu, atividades ao ar livre e natureza


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, montanha, natureza e atividades ao ar livre

Nossa aventura pelo Atacama realmente estava chegando ao fim... era hora de começar a fazer as malas, de deixar tudo organizado para pegar a estrada rumo a Antofagasta no dia seguinte.
Eu nunca soube lidar muito bem com despedidas, confesso que antes mesmo de fechar a mala, eu já estava com uma saudade louca de tudo o que vivi naquele lugar incrível. Eu me apaixono muito fácil por cada lugar que conheço, e a sensação de que talvez eu nunca mais volte para aquele lugar realmente provoca um efeito devastador no meu coração ( é muita sofrência, de verdade!).
Viajar em família é uma mistura de tudo e mais um pouco:  são muitas emoções juntas e misturadas! Quatro pessoas com vontades diferentes, pensamentes diferentes e gostos diferentes convivendo num mesmo quarto, num mesmo carro, dividindo o mesmo guarda roupas, misturando roupas, perdendo tudo o tempo todo! Um menino e três meninas colecionando histórias e escrevendo mais um capítulo dessa aventura maravilhosa chamada " VIDA EM FAMÍLIA".

A imagem pode conter: 4 pessoas, incluindo Telma Garbin Caramelo, pessoas sorrindo, pessoas em pé, neve, céu, montanha, atividades ao ar livre e natureza


A imagem pode conter: 2 pessoas, incluindo Telma Garbin Caramelo, pessoas sorrindo, pessoas sentadas
Dia de jogo da seleção no hotel

A imagem pode conter: 4 pessoas, incluindo Carlos Hugo Caramelo Oliveira e Telma Garbin Caramelo, pessoas sorrindo, pessoas sentadas

A imagem pode conter: 4 pessoas, incluindo Telma Garbin Caramelo e Carlos Hugo Caramelo Oliveira, pessoas sorrindo, óculos

A imagem pode conter: 4 pessoas, incluindo Carlos Hugo Caramelo Oliveira, Telma Garbin Caramelo e Beatriz Garbin Caramelo, pessoas sorrindo, pessoas sentadas, mesa e área interna
Barros: eleito com unanimidade nosso restaurante favorito em San Pedro

A imagem pode conter: 4 pessoas, incluindo Carlos Hugo Caramelo Oliveira e Telma Garbin Caramelo

Para saber mais sobre nossa viagem, dicas, roteiros e valores, clique aqui!

Acompanhe nossos vídeos no YouTube, se inscreva e deixe seu 👍

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Uma família no Atacama - Parte 1

Dia da Laguna Cejar e Valle de Marte. Atacama em família de carro.


Laguna Cejar, Ojos del Salar , Tebenquiche e Valle de Marte

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu, montanha, natureza e atividades ao ar livre
Ojos del Salar... dois círculos perfeitos no meio do deserto

Mais um dia frio e preguiçoso surgia e nós estávamos bem preocupados com nosso meninão que não havia passado bem à noite, resultado da corrida congelante à 4000 metros de altitude do dia anterior. Achamos melhor pegar leve naquele dia e dar um tempo pra ele se recuperar (um tempinho bem curtinho). 


A imagem pode conter: área interna
A parte mais difícil do dia era tirá-las da cama e convencê-las de que o banho era necessário

Fui até a Caracoles, comprei alguns remédios e folhas de coca, fui no mercadinho, troquei dinheiro e comprei umas lembrancinhas... me senti uma local por alguns instantes... foi delicinha andar pela caracoles logo cedo, observando os cachorrões despertarem para um novo dia, ver o pessoal das lojinhas varrendo a rua de terra ( oi???) e molhando a rua para evitar o pó. Amo observar o dia-a-dia das pessoas, amo ver como temos nossas semelhanças e diferenças... viajar nos proporciona experiências que sala de aula nenhuma poderia proporcionar e a Caracoles, naquela manhã, me ensinou como o simples pode ser lindo! 


A imagem pode conter: atividades ao ar livre

A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre 

Cheguei no hotel e encontrei o Carlos trabalhando, toco encapuzado, do lado de fora do quarto perseguindo os raios de sol... fiquei sem saber se ele estava atrás de vitamina D para se recuperar ou se estava fazendo fotossíntese... de qualquer forma, depois de vê-lo trabalhar durante às férias, resolvemos abreviar seu período de recuperação.
A imagem pode conter: pessoas sentadas
Pensa numa pessoa que nunca se desliga do trabalho





Mais uma vez encontramos uma estrada tranquila, com um deserto de sal que se abria à nossa frente e enchia nossos olhos de admiração e curiosidade.Chegamos na entrada do parque faltando cinco minutos para as duas da tarde e recebemos a deliciosa informação que a entrada antes das 14 horas custa 10.000 e após esse horário o valor sobe para 15.000. Imagina se não foi uma correria para comprar os bilhetes de entrada neste cinco minutos restantes! O lugar estava incrivelmente vazio, pois as vans só chegam depois das duas da tarde ( não sei o motivo)... Ao contrário de tudo o que eu já tinha lido, ficamos só nos no mirante, podendo admirar aquele lugar diferente de tudo o que já tínhamos visto.
Em nossa programação estavam a Laguna Cejar, Ojos del Salar e Laguna Tebenquinxe... Saímos logo após o almoço (confesso que nem me lembro se realmente almoçamos 😏) e seguimos rumo às lagunas.

Se tem uma coisa que eu amo é poder fazer minha própria programação, poder mudar de planos, acrescentar ou tirar lugares do roteiro pré estabelecido... poder dormir até mais tarde se o corpo implorar por descanso, além de poder ouvir as próprias músicas e encher o carro com blusas e muitas porcarias para comer quando a fome apertar. É claro que tem aquele lado do conhecimento, onde as explicações e dicas dos guias fazem muita falta e nos deixam com muitas dúvidas para pesquisar no Dr Google no WiFi mais próximo. 

E por falar em WiFi, sempre tomamos o cuidado de fazer nosso roteiro no GPS antes de sairmos do hotel, assim a gente não se perde, não é mesmo?

Todos no carro, folhinhas de coca à mão, playlist conectada partimos rumo à Laguna Cejar, tão conhecida por suas águas salgadas o suficiente para não nos deixar afundar.



Nenhum texto alternativo automático disponível.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu, atividades ao ar livre e natureza
Encontramos as lhamas pela primeira vez


O parque é muito organizado, logo na entrada recebemos instruções e um mapa.
Este lugar é muito conhecido pelas águas salgadas que não afundam. Todo mundo quer entrar para ter essa experiência...Antes de ir para o Atacama, nós nem cogitávamos a hipótese de deixar de entrar naquela água,mesmo sabendo que estávamos no inverno,  repetimos várias vezes que já que estaríamos ali, o mergulho não poderia faltar... mas a experiência do dia anterior nos assustou bastante, e se já sofremos com a água quente de Puritama, imagina a água fria e salgada! Sim meus caros amigos... desistimos, amarelamos... demos pra trás... 
O Carlos ainda deu uma de valentão e disse que queria entrar, e até me culpou por ter tirado as roupas de banho do carro ( juro que não foi de propósito). Por alguns instantes eu pensei que ele fosse entrar de cueca mesmo, tamanha empolgação que ele estava olhando aquelas águas! Mas a sanidade voltou e ele desistiu da ideia. E por falar em sanidade, depois de algum tempo que estávamos lá, chegou uma van cheia de turistas empolgados com roupões branquíssimos e chinelinhos... na mesma velocidade  que entraram, eles saíram da água. Devia estar bem fria mesmo!
São três lagoas nesta parte do passeio: a Cejar ( onde só se observa, pois é proibido entrar) e a Laguna de Piedra ( que na verdade são duas) nesta, pode se banhar. No lugar tem vestiário e banheiros, tudo muito bem organizado. E pra quem não curte caminhadas, fique tranquilo porque é tudo bem pertinho do estacionamento.
Embora a Laguna Cejar seja a mais conhecida, confesso que gostei  mais da Laguna de Piedra. O reflexo daquela água era realmente muito lindo, tirei até fotos da Mariana sem ela perceber ( ela detesta fazer pose para fotos), pois aquele momento precisava ser eternizado.



A imagem pode conter: área interna
E amei a organização deste lugar



A imagem pode conter: atividades ao ar livre



A imagem pode conter: atividades ao ar livre
E para aqueles que adoram colecionar pedrinhas dos lugares que visitam, saibam que aqui não pode!😕

A imagem pode conter: texto


A imagem pode conter: céu, oceano, atividades ao ar livre e natureza
O caminho do estacionamento até o mirante da laguna Cejar

A imagem pode conter: céu, oceano, nuvem, atividades ao ar livre, natureza e água
A laguna Cejar... Confesso que pensei que teria mais água

A imagem pode conter: oceano, céu, atividades ao ar livre, natureza e água

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre
É turista empolgada que chama, né?

A imagem pode conter: céu, montanha, nuvem, atividades ao ar livre e natureza
Essa vegetação me conquistou

A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre
Uma do ladinho da outra, nem dá para se perder

A imagem pode conter: céu, oceano, nuvem, atividades ao ar livre, natureza e água
É aqui que os corajosos entram

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu, oceano, atividades ao ar livre e natureza
Aquele reflexo que você ama mesmo sem ter uma câmera de verdade

A imagem pode conter: céu, montanha, nuvem, atividades ao ar livre e natureza


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, montanha, céu, atividades ao ar livre e natureza
Para tirar foto dela, só assim: de longe, com zoom, sem ela perceber

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, montanha, céu, nuvem, oceano, natureza e atividades ao ar livre
Nesta hora o conflito de um homem: entrar ou não entrar na água gelada?

Uma coisa que também me encantou, foi a vegetação ao entorno das lagoas, imaginei mil fotos ali, mas parece que meus fotógrafos estavam meio desanimados para fotos naquele momento. Viajar em família é assim, alguns passeios empolgam mais que outros e dificilmente todos estarão na mesma sintonia,é preciso saber a hora de conter a ansiedade ( confesso que não sou boa nisso). Tirei algumas fotos com e sem consentimento dos fotografados e fomos para o próximo destino. Minha família não é muito de ficar contemplando o mesmo lugar por muito tempo ( muitos minutos), partimos então para Ojos del Salar, que fica bem pertinho dali.
Ninguém sabe ao certo como essas pequenas lagoas de água doce se formaram no meio do salar. Algumas pessoas defendem que essa formação se deu depois de uma chuva de meteoros, outros dão explicações extraordinárias sobre a presença alienígena na região... A Bia até desenvolveu sua própria teoria e gravou um vídeo que estará disponível em breve no nosso canal... Seja como for, o que importa mesmo é que o lugar é muito legal! Vi algumas fotos na Internet de pessoas mergulhando ali, mas pra variar, estávamos completamente sozinhos no lugar.
Pelo que percebi, as agências saem mais tarde para fazer esse tour, pois a ideia é observar o pôr do sol na Laguna Tebenquiche, dizem que é lindíssimo, mas como chegamos cedo, acabamos não tendo paciência de esperar e voltamos para San Pedro antes do entardecer.
Nossa passagem pela Tebenquiche foi bem rápida, o valor de entrada era 3000 pesos e acabamos nem entrando, paramos, olhamos, fotografamos e seguimos para San Pedro ( padrão de turismos Viagem na Janela Express).
Depois vi algumas fotos do por do sol na Tebenquiche e confesso que me arrependi de não ter falado para esperarmos. Uma daquelas tristezinhas de não tomar a melhor decisão na hora certa.

( foto da Internet ) O por do sol que não vimos, mas agora não adianta chorar

A imagem pode conter: céu, natureza e atividades ao ar livre
Esse é um daqueles lugares que você olha e diz " UAU! Como isso veio parar aqui?

A imagem pode conter: carro, céu, atividades ao ar livre e natureza
O  carro fica ali, bem pertinho, entre uma lagoa e outra.

A imagem pode conter: 2 pessoas, incluindo Beatriz Garbin Caramelo, montanha, céu, atividades ao ar livre, natureza e água

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, montanha, céu, natureza, atividades ao ar livre e água

Como desistimos da Tebenquiche, sobrou-nos tempo e começamos a cogitar hipóteses desorientadas... O Carlos começou a perguntar sobre a distância da Lagoa Chaxa, mas meu aplicativo não funcionava muito bem off-line e não dava dado precisos ( agora sei que estávamos a 60 quilômetros de distância, uma hora de viagem), decidimos não arriscar.
Seguimos rumo a San Pedro com o céu ainda azul, o Carlos tinha razão, ir para o hotel seria realmente um desperdício de tempo. Passamos direto pela entrada da cidade e fomos para o Valle de Marte, que foi um dos locais menos pesquisados por mim, já que achei pouquíssimas informações sobre ele nos blogs, que falavam mais do Valle de la Luna, que fica bem ao lado. Por alguns momentos, durante as minhas pesquisas, cheguei a pensar que a entrada era a mesma para os dois parques, só depois, já no Atacama é que descobri que são dois parques distintos, embora as paisagens sejam parecidas. 
O Valle de Marte é um parque onde muitas pessoas vão para praticar snowboard  ( é snowboard que fala,mesmo sendo na areia?) nas dunas ou para observar o pôr do sol do mirante, no ponto mais alto do parque. Logo na entrada fomos informados que o carro deveria ser deixado no estacionamento bem mais adiante e que haveria uma trilha de mais ou menos quinze minutos, também nos informaram que deveríamos deixar o parque às seis da tarde. 

A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre
A entrada fica bem na beira da estrada, de frente com a estrada do Valle de la Luna


A imagem pode conter: céu, atividades ao ar livre e natureza
A estradinha até o estacionamento tem paisagens incríveis! Parece cena de filma de ficção

A imagem pode conter: céu, montanha, atividades ao ar livre e natureza
As fotos não conseguem expressar esse lugar!

A imagem pode conter: montanha, céu, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu, natureza e atividades ao ar livre 

A imagem pode conter: montanha, céu, atividades ao ar livre e natureza
Do estacionamento em diante, é só subida a pé!

A imagem pode conter: atividades ao ar livre
O pessoal pratica snowboard em uma das dunas do parque

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, montanha, céu, atividades ao ar livre e natureza
Início da trilha

A imagem pode conter: montanha, céu, atividades ao ar livre e natureza
A parte de areia é a mais cansativa... um passo pra frente e dois para trás

Quando nos falaram que a trilha era de quinze minutos achei tranquilo, eu só não sabia que seriam "15 minutos" numa subida íngreme e na areia! A sensação que tenho agora é que demorei uma cinco horas para subir aquela trilha! Foi sem dúvidas o maior desafio que enfrentamos, foi sofrido mesmo... A Mariana, que não curte caminhadas quis desistir várias vezes pelo meio do caminho, e acabou se entregando de vez quando viu a subida para o mirante, já no finalzinho da trilha. (sabe aquela expressão: "nadou, nadou e morreu na praia"? Com a Mari foi: "Andou, andou no deserto e parou à beira do oásis"!)

A imagem pode conter: 1 pessoa, atividades ao ar livre e natureza
Minha bebê desfalecida pelo caminho...

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, montanha, natureza e atividades ao ar livre


A imagem pode conter: montanha, céu, natureza e atividades ao ar livre

Seguimos firme, o sol começava a se pôr e precisávamos chegar ao mirante antes dele sumir de vez... juro que tentei, mas minhas pernas não obedeciam aos meus comando e quando finalmente cheguei lá ele já tinha se deitado por trás da montanha 😢. Mesmo assim foi incrível ter chegado até lá! A vista compensou todo o esforço e toda a falta de ar que senti para chegar lá em cima! Uma mistura de cores e sentimentos que vai ficar pra sempre guardada na minha memória!

A imagem pode conter: céu, montanha, natureza e atividades ao ar livre





A imagem pode conter: céu, montanha, natureza e atividades ao ar livre




Lamentei por não ter me programado melhor com os horários...Fazer passeios por conta própria tem inúmeros lados positivos, como economia, liberdade, tranquilidade... mas tem como ponto negativo não saber exatamente os melhores horários para as programações, a hora certa de chegar e de sair de cada lugar... Faz parte!
Ficamos um tempinho ali no mirante e logo começamos a descida de volta, a noite começava a dar os primeiros sinais e como estávamos no meio do nada, logo aquilo se tornaria um breu total. Quando chegamos ao nosso carro, já estava tudo escuro e seguimos pela estradinha só com a iluminação dos faróis, foi bem emocionante!
A caminhada custosa nos rendeu belas fotos e muitas histórias para contar. 



A imagem pode conter: Telma Garbin Caramelo, sorrindo, em pé, montanha, céu, crepúsculo, natureza e atividades ao ar livre
O ponto mais alto! Onde a vista faz tudo valer a pena

A imagem pode conter: Telma Garbin Caramelo e Beatriz Garbin Caramelo, pessoas sorrindo, atividades ao ar livre, natureza e close-up
Por fora cara de acabada, por dentro se sentindo guerreira!

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, montanha, crepúsculo, céu, natureza e atividades ao ar livre    
                        Tomando fôlego ou só apreciando?



A imagem pode conter: montanha, céu, natureza e atividades ao ar livre


A imagem pode conter: noite e atividades ao ar livre
Saindo do parque no escuro

Para saber mais sobre nosso roteiro, dicas e valores clique aqui!

Assista nosso vídeo e se inscreva em nosso canal no YouTube!